É Difícil Falar

a772837ac1a6a7635b73e6c267542ad8Gravar musicas autorais é algo que eu sempre fiz, desde a adolescência, até recentemente quando eu morava em São Paulo. Tenho um caderno de letras abstratas que renderam e ainda podem render muitas músicas.

O projeto dos delírios musicais era pra ser mais um desses, “abstratos” projetos autorais, eu havia acabado de montar meu home-studio e procurava desafios, mas a bomba caiu na minha cabeça… eu estava com câncer. No inicio, de boa, pode ser benigno, vou ser otimistas, esse lance de “vitimismo” não cola comigo, dizia eu, com as mãos molhadas de suor.

Nesse meio tempo, fui fazer um show em Urupês, no MPBEER, lá, descobri que o câncer da mãe de um dos integrantes da banda havia piorado e a família havia tomado uma decisão difícil, tirar ela do hospital e a trazer para casa.

Eu fiquei sem chão e inevitavelmente me imaginei nessa situação. Resolvi dar um conselho sincero ao filho e pra isso, me coloquei no lugar dela dizendo o que eu gostaria de ouvir de um filho naquela situação:

“Explica pra ela tudo o que você é, o que se tornou, explica quais são seus valores e suas metas, diz o quanto ela é importante pra você, ela precisa saber disso”.

Ambos choramos, cada um com seu pesar e ele me disse que era difícil falar, pois o câncer já havia chegado ao cérebro e suas respostas e reações eram erráticas, eu insisti e ele concordou em falar.

Poucas semanas depois nos encontramos no velório e eu perguntei se ele havia conseguido falar, ele confirmou e eu chorei, mas ele estava conformado, a ida da mãe para casa, foi um longo funeral interno. Eu chorava por outro motivo, meu câncer era maligno e eu precisava operar com urgência.

Nessa época escrevi essa canção, ela fala sobre a opção em ficar calado e recluso absorvendo dores e angustias, enquanto desprezamos os mimos de quem nos ama, simplesmente para evitar dizer o que não não precisa ser dito, mas precisa ser ouvido.

Posso parecer durão, mas agora mesmo estou chorando. Hoje, valorizo essas lagrimas, afinal, minha história com o tumor teve um final feliz, mas a lição que ficou me moldou, o meu dialogo com a morte foi revelador. Nunca consegui falar o que senti, nem mesmo na canção, mas ficaram pistas, sei que nem todos vão notar, afinal, é difícil falar.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s